Como falei no post anterior, uma tarde em companhia do “Quarteto Fantástico Italiano” – Massimiliano Ferrari (Ferrari), Sergio Zingarelli (Rocca delle Macìe), Michele Umani Ronchi (Umani Ronchi) e Alberto Medici Ermete (Medici Ermete), me proporcionou uma experiência maravilhosa na Enoteca Decanter, através de suas 4 regiões.

Neste post, vou falar dos outros 2 produtores que estiveram lá, apresentando alguns de seus melhores vinhos.

Sergio Zingarelli, proprietário da gigante e conhecida Rocca delle Maccie e também Presidente do Consorzio del Chianti Classico, que existe desde 1716 e que tem mudado algumas de suas regulamentações, mas isto eu vou escrever num outro momento…

Sobre os vinhos do Sergio:

Rocca delle Macìe Chianti Classico Riserva 2013 (R$ 233,20), um clássico da vinícola. Um Chianti Reserva como todos deveriam ser. Fácil de beber, equilíbrio perfeito de fruta madura (cereja, ameixa), terra e madeira principalmente. Acidez bem presente como era de esperar de um chianti e final que fica na boca por um bom tempo. Feito com 90% de Sangiovese, 5% de Cabernet Sauvignon e 5% Merlot.

O Ser Gioveto Rosso Toscana 2010 (R$ 260,20) é um vinho que tem 80% de Sangiovese e 20% de Cabernet Sauvignon e Merlot. Um vinho muito bacana, de corpo médio e acidez ainda bem presente, apesar dos 7 anos de idade. Um vinho muito fácil de beber, macio… belíssimo vinho.

O vinho mais especial deles, o Gran Selezione Sergio Zingarelli 2010 (R$ 783,00), é um 90% Sangiovese e 10% Colorino, uma das uvas permitidas na região do Chianti. Passou 18 meses em barricas francesas e é um supertoscano sensacional. Fácil de beber, equilibrado e como um bom tempo de garrafa pela frente! Um vinhaço.

Por ultimo, Alberto Medici Ermete, proprietário da Medici Ermete, grande produtor de… Lambruscos!! Sim, Lambruscos, aquele vinho frizante ou espumante que é vendido em grande escala por aqui e que causa calafrios em muita gente, principalmente os enófilos mais experientes. Mas o que poucos sabem, é que há sim bons lambruscos e que eles não são o retrato que a maioria tem na cabeça, daqueles espumantes ou frizantes mais doces, enjoativos e baratos. Vejamos…

Lambrusco é um tipo de uva, que tem alguns tipos, como Lambrusco di Sorbara, Marani, Salamino, Maestri, Grasparossa e Mantovano. Apesar de serem todas “Lambruscos”, são uvas completamente diferentes. E os exemplos vem nos vinhos que tomamos:

Medici Ermete Brut Rose Unique (R$ 153,70) feito com Lambrusco Marani, através do método tradicional e que ficou 16 meses sobre as lias, na garrafa. Um espumante rosa claro, cor de salmão, muita fruta vermelha e boa presença de leveduras que dão aquele toque de pão. Às cegas, não tenho a menor dúvida que ninguém mataria que é feito com Lambrusco!

O Lambrusco Reggiano Concerto (R$ 94,40) é feito com Lambrusco Salamino e através do método Charmat. É um espumante, não é um frizante. Muita fruta vermelha… muita! E seco. Ou seja, diferente do que muitos esperariam de um Lambrusco. Boa acidez e final que fica na boca. Foi premiado pelo Gambero Rosso com os famosos “3 bicchieri” por 8 anos consecutivos!

Por último, o Lambrusco Bocciolo Grasparossa (R$ 86,80). Este sim, um lambrusco como se esperaria. Mas com qualidade. É muito aromático, tem baixa graduação alcoólica (7,5%), mas sem ser nada enjoativo!

 

CHEERS!!

EnoDeco no Instagram: http://instagram.com/enodeco

Siga o EnoDeco no Twitter!

Torne-se um fã do EnoDeco no Facebook!

Beba moderadamente! O excesso de álcool é prejudicial à saúde