Continuando a bela degustação e papo com Lorenzo Ficini da vinícola Poggio Bonelli, tivemos 2 degustações verticais bem bacanas e elucidativas.

A primeira, do Chianti Classico Riserva, tivemos as safras 2006, 2007 e 2010. Vou fazer um panorama geral, para não ficar muito longo, pois depois ainda tivemos outra vertical.

O Chianti Classico Riserva é um vinho qua passou pelo menos 21 meses em barrica e mais 3 meses em garrafa antes de ser comercializado. Nós tomamos o 2010, 2007 e 2006. 3 safras bem diferentes. O 2006, apesar de ser o mais velho, parece o mais novo. Taninos muito presentes, muita estrutura e aparentemente, mais potencial de guarda. O 2010, atualmente a safra à venda aqui, ainda é novo, mas mostra muito potencial. E o 2007 é o melhor para se beber agora.

O Poggiassai IGT é um supertoscano bem típico, feito com Sangiovese (75%) e Cabernet Sauvignon (25%). Tomamos 3 safras: 2007, 2010, 2012. Dos 3, meu preferido foi o 2007. É o mais complexo no nariz e na boca, já trazendo aromas mais animais, apesar de ainda mostrar bastante fruta e muitos taninos. O 2010 é o mais pronto pra se beber e o 2012 o que tem mais fruta  e ainda precisa evoluir um pouco. A safra atual à venda aqui é a 2012, a R$ 460,00

De fato, somados aos Chiantis do post anterior, a gama de vinhos deles é muito boa e consistente. Mais uma grande surpresa vinda de terras toscanas.