A Quinta do Vallado é sem dúvida, um dos maiores nomes do Douro e dona de um portfólio respeitadíssimo de vinhos.  Construída lá no longínquo ano de 1716, é uma das Quintas mais antigas e famosas do Vale do Douro e que pertenceu a ninguém menos que  Dona Antónia Adelaide Ferreira, conhecida como Dona Ferreirinha e mantém-se até hoje uma gestão familiar. Situa-se nas margens do Rio Corgo, um afluente do Rio Douro, mesmo junto à foz, perto da localidade de Peso da Régua. Uma curiosidade é que durante cerca de 200 anos, a Quinta do Vallado teve como principal atividade a produção de vinhos do Porto, comercializados posteriormente pela Casa Ferreira (que pertencia à Família). E só depois eles começaram a focar nos vinhos secos.

Hoje, com 50 hectares de vinhas com idade entre 11 a 18 anos, eles tem também,  20 hectares especiais, com vinhas velhas de mais de 80 anos de idade, a Quinta do Vallado. E quem toca a vinícola hoje são, João Ferreira Álvares Ribeiro, Francisco Ferreira (responsável pela gestão agrícola) e Francisco Olazabal (enólogo), todos tataranetos de Dona Antónia. E foi com João Ferreira, o simpático e competente CEO da vinícola, que tive um almoço inesquecível em SP, para que eles nos apresentasse alguns dos seus vinhos, entre eles um Porto 1888, ou seja, com 132 anos de idade, mas que dedicarei um post especial apenas para ele.

Então vamos aos outros vinhos que provamos num almoço delicioso no Restaurante Attimo, junto com os importadores do Vallado no Brasil, a Importadora PPS.

Vallado Rose Touriga Nacional 2016 – um vinho com aquela cor clarinha, salmão, feito com Touriga Nacional e que fica apenas de 4 a 6 horas em contato com as cascas. Ótima acidez, delicado, leve. R$ 99,00.

Vallado Branco Reserva 2015 – um vinho que mostra a alma branca do Douro. Tenho bebido cada vez mais brancos de excelente qualidade vindos de lá e tenho gostado cada vez mais. Feito com as uvas Arinto, Gouveio e Rabigato, ele fermenta em barricas de 500 litros e depois lá permanece por mais 6 a 8 meses. Um vinho de ótimo corpo, com muita complexidade, madeira e frutas bem equilibradas, untuoso e acidez muito bacana. Um vinho que vai envelhecer bem, mas que tá espetacular pra se beber agora! R$ 190,00.

O Vallado Reserva Field Blend 2014, como o nome diz, é um Blend de vinhas velhas que ficam misturadas nos vinhedos. Esta é uma prática normal no Douro e até faz parte de uma certa tradição e charme do país para não entrar totalmente na onda novomundista de vinhos varietais. São aproximadamente 40 tipos de uvas tintas misturadas nestes vinhedos, mas que tem como maiores participantes, a Tinta Amarela, Tinta Roriz e Touriga Franca. O vinho é potente, de ótimo corpo, frutas vermelhas e pretas. R$ 330,00.

O Vallado Tinta Roriz 2014 é um vinho diferente, mais rústico mais herbáceo e com taninos mais presentes. A acidez também fala alto, deixando o vinho bem gastronômico e que tem muita guarda pela frente! R$ 480,00.

Vallado Vinha da Coroa 2015, também feito com vinhas velhas, estas que ficam no topo da montanha onde estão estes vinhedos e por isso chama-se “Vinha da Coroa”. Ele é fermentado com engaço, pouca extração e apesar dos 16 meses em barricas, a madeira dá apenas uma redondeza e maciez ao vinho, aportando poucos aromas e deixando a fruta e os herbáceos falarem mais alto! Um vinho elegante, diferente da costumeira potência que o Douro faz. Bom agora, melhor estará daqui a 10 anos!! R$ 600,00.

Por último, o Porto Vallado 10 Anos. Um vinho do porto com ótimo equilíbrio entre acidez e açúcar, que é a fórmula certa para um bom vinho do porto. Os conhecidos aromas de frutas secas predominam, assim como notas mais oxidadas, que é o que mais gosto nestes vinhos. R$ 240,00.

O Vallado merece a fama que tem. Merece todos os reconhecimentos e sem dúvida, conseguem manter uma identidade, uma consistência em todas as suas linhas!

Num outro post falarei especificamente sobre o Porto 1888 que tomei de joelhos!

Um Abraço e Saúde!

Déco